Igrejas e Museus

Catedral de Santo Estevão

Domina a vista de Casalmaggiore a cênica e imponente construção da Catedral de São Estevão que surge no fundo da Via Favagrossa, introduzida por uma bela luneta prospectiva constituída pelos palácios neoclássicos Camozzi e Mina Tentolini. A estrutura é em cruz grega, com capelas laterais, coro profundo e majestosa cúpula sobre o tambor. Construído e desenhado por Fermo Zuccari em meados do século XIX, abriga valiosas obras de artistas importantes, como Giovan Battista Trotti, conhecido como Malosso, e Giuseppe Diotti, além da cópia setecentista da Virgem de Santo Estevão realizada em 1540 por Parmigianino para a antiga igreja de Santo Estevão e agora conservada em Dresden. Esta é uma reprodução fiel feita pelo artista local Marco Antonio Ghislina.

Igreja de Santa Maria dell'Argine

Interessante prédio perto do rio onde se ligam harmoniosamente o campanário românico (que atesta as origens antigas da igreja) e a fachada do século XVII. A sua localização é testemunha da localização original do distrito de Vicobellignano antes de as contínuas e ameaçadoras inundações do Pó forçarem os habitantes a se transferirem em uma zona mais interna e protegida, onde foi construído o novo centro. Por motivo de conservação, os afrescos originais foram transferidos para a Paróquia Com parede em pedra, isolada como se encontra no verde dos campos e sobre a margem do Pó, esta pequena igreja é uma das mais românticas e imponentes de Casalmaggiore.

Museu Diotti

Documenta com suas coleções a produção artística do território a partir de meados do século XVIII até o presente. Foi criado em 2007, após a restauração do palácio que pertenceu a Giuseppe Diotti, famoso pintor neoclássico da primeira metade do século XIX. Depois de ter sido por muito tempo professor da Accademia Carrara de Bérgamo, Diotti voltou a viver em sua terra natal Casalmaggiore nos últimos anos de vida, formando uma espécie de academia privada frequentada por pintores locais. Além de obras de Diotti documentando seus modos operativos e as diferentes fases da sua produção, o museu abriga obras de mestres, funcionários e alunos do artista. Há também no Museu os principais autores locais do século XX, cuja pintura é atribuível principalmente ao tema da paisagem (entre estes Goliardo Padova, Gianfranco Manara e Tino Aroldi). Uma seção inteira é dedicada à reconstrução do atelier do artista com móveis e equipamentos originais.

Uma seção separada do Museu é representada pelas coleções da Escola de Design "Bottoli" antiga escola de artes e ofícios criada no Palazzo Martinelli renascentista.

Ir para o site do museu Diotti >

Mosteiro de Santa Clara

Perto da catedral fica o vasto complexo monástico de Santa Clara, fundado em 1504 e ampliado no século XVIII, quando se tornou um dos mais ricos e importantes da Lombardia. Do lado de fora há um perfil octogonal com galeria dupla da Igreja, consagrada em 1531, que abriga algumas pinturas valiosas de artistas locais e um pequeno órgão do século XVIII perfeitamente conservado. Neste corpo da edificação, que constituía a igreja pública, está anexado um corpo de comunicação, retangular, com abóbada de berço e rico em afrescos, que era a igreja reservada a freiras. Hoje, as instalações abrigam a Fundação Santa Clara, que se ocupa principalmente na formação profissional; o complexo também possui um centro de conferências e uma pousada.

Santuário de Nossa Senhora da Fonte

Fora da cidade, ao longo da estrada que leva a Sabbioneta, está este santuário, que remonta a 1463. Mesmo antes do Mille, ao lado de uma fonte ou poço, que serviu para os viajantes beberem, foi construída uma pequena capela dedicada a Nossa Senhora, por isso a fonte foi chamada de "Pozzo di Santa Maria." Em 1320 aconteceu, de acordo com a tradição, o milagre de um pobre homem cego de nascença que recuperou a visão ao tomar banho com "a água da Nossa Senhora." Em seguida, foi construído no local, substituindo a capela, um primeiro santuário, depois, expandido e concluído em 1463. Significativo, o portal em terracota e, no interior, alguns afrescos valiosos, frontais de altar em estuque, a cripta e a estela funerária do pintor Francesco Mazzola, conhecido como Parmigianino, que morreu em Casalmaggiore em 1540.

Museu da Bijou

Fundado em 1986, o Museu da Bijou está localizado a poucos passos da Piazza Garibaldi, na cave do Collegio di Santa Croce setecentista, grande complexo que abriga também a Biblioteca "Mortara" e o Auditório. É um museu especializado do patrimônio histórico-industrial, um "exemplar único" a nível nacional, que conserva um patrimônio de mais de 20.000 itens, todos produzidos por fábricas diferentes de Casalmaggiore entre o final do século XIX e os anos 70 do século XX. Nas salas do museu estão expostas também ferramentas, máquinas-ferramentas, fotografias e catálogos que documentam o que foi um fenômeno industrial quase único na Itália, a "idade do ouro" de Casalmaggiore. Anexado ao Museu está um laboratório didático com equipamentos para fundição de metal, soldagem e douramento.

Ir para o site do Museu da Bijou >