Itinerários

Casalmaggiore, cidade de arte e história

Percurso pensado para aqueles que estão em Casalmaggiore pela primeira vez, o roteiro gira em torno da visita das duas principais praças da cidade, em torno das quais se pode ver os monumentos históricos do centro da cidade. Parte da central Piazza Garibaldi, o coração da cidade e ponto de encontro habitual para a população onde ainda hoje acontecem inúmeros eventos. Ao fundo encontra-se a construção imponente da Prefeitura em estilo neogótico, construída no século XIX, e símbolo de Casalmaggiore. Significativo, dentro dela, a Câmara do Conselho. Na praça também está o ex-convento da Santa Cruz, que abriga no porão o Museu da Bijou, museu de arqueologia industrial, que conserva o testemunho de uma realidade típica desta cidade: a produção de bijuteria, que, entre o final do século XIX e os anos setenta do século XX, tornou Casalmaggiore famosa em todo o mundo. Na vizinha Piazza Marini está a majestosa Catedral de Santo Estêvão que abriga uma importante coleção de pinturas, e o mosteiro de Santa Clara.

Jóias do Casalmaggiore

Este roteiro é projetado para atender as necessidades dos turistas voltados a aprofundar o conhecimento da cidade, e oferece uma sugestão sobre algumas verdadeiras jóias do território. O Teatro Municipal, exemplo elegante de teatro italiano do século XVIII, foi construído entre 1782 e 1783 um projeto de Andrea Mones (ao qual devemos também a decoração do teto do auditório). O Santuário de Nossa Senhora da Fonte, construído no local de uma fonte milagrosa, está localizado fora do centro, ao longo da estrada para Sabbioneta. No interior, na segunda capela do lado esquerdo, está a estela funerária do pintor Francesco Mazzola, conhecido como Parmigianino, que morreu em Casalmaggiore em 1540. O palácio que foi a casa-estúdio do famoso pintor neoclássico Giuseppe Diotti (1779-1846) agora abriga o Museu Diotti, cujas coleções documentam a produção artística local a partir de meados do século XVIII até os dias atuais. Uma seção separada do Museu é representada pelas coleções da Escola de Design "Bottoli" antiga escola de artes e ofícios criada no Palazzo Martinelli renascentista. O Torreão, que está localizado no centro histórico perto da margem do Pó, é o que resta das fortificações da cidade, que foi demolido entre o século XVI e XVII. Destinada à alojar a guarnição militar local, devia servir como uma guarnição na entrada da cidade a partir do rio.